Menu
Busca sábado, 14 de dezembro de 2019
(67) 99647-9098
Perkal
Polícia

Polícia do RJ localiza cemitério clandestino de milícia

Corpos foram localizados em uma área rural de Queimados, na Baixada Fluminense

20 julho 2019 - 11h31Matheus Henrique, com informações da Agência Brasil

Um cemitério clandestino da milícia foi localizado nesta sexta-feira (19) por policiais da Delegacia de Homicídios no Rio de Janeiro. Dois corpos foram localizados em um poço artesiano em um sítio abandonado em Queimados, na Baixada Fluminense, as vítimas teriam sido assassinadas dentro de um carro encontrado ontem abandonado em um dos condomínios. Os corpos foram localizados no sítio durante a noite e retirados com o auxílio do Corpo de Bombeiros.

Segundo as investigações, eles teriam sido assassinados pelo grupo criminoso Caçadores de Ganso, que atua na região e foi alvo da Operação Hunter, realizada quinta-feira (18), em conjunto com o Ministério Público estadual. A ação teve como objetivo cumprir mandados de prisão e busca e apreensão contra integrantes da milícia que domina os condomínios do programa Minha Casa, Minha Vida. Até o momento 26 pessoas foram presas, entre elas o vereador e ex-secretário de Defesa Civil do município Davi Brasil Caetano.

Líder da milícia

O vereador Davi Brasil Caetano (Avante) é considerado pelo Ministério Público estadual como líder da milícia que age na região, principalmente em três condomínios do Minha Casa, Minha Vida, que são o Valdariosa, Ulysses Guimarães e Eldorado. O parlamentar, preso na ação também é policial militar reformado e foi investigado em 2017 pelo Ministério Público. Atualmente exercia o papel de liderança do grupo. Ele fazia a coordenação de todos os outros integrantes, inclusive foi responsável por expandir essa milícia que começou no condomínio Ulysses Guimarães.

A promotora de Justiça, Mariana Segadas, do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), disse que Davi é apontado como líder da milícia conhecida como “Caçadores de Ganso”. Ele é acusado de vários homicídios e responsável pela exploração da atividade de distribuição clandestina de sinal de TV a cabo, além da venda de botijões de gás e de água mineral. A promotora disse também que o grupo inovou: qualquer morador que fosse fazer um churrasco era obrigado a comprar carne, linguiça, asa de frango e carvão também para a milícia, o chamado “kit churrasco”.

 

 

PMCG - Cidade do Natal

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Homem foge após tenta matar ex-esposa e ex-cunhada
Polícia
Homem é preso dois meses após torturar, abusar e matar amigo
Polícia
Catador de material reciclável morre após ser atropelado
Polícia
PM sofre AVC durante plantão
Polícia
Colégio de juízes assume processo de milícia e contesta juiz de Mossoró no STJ
Polícia
Grávida leva facada na barriga durante confusão em comércio na capital
Polícia
Irmão de integrante do PCC é preso
Polícia
DEFRON incinera quase 10t de drogas apreendidas
Polícia
Dentro de escola, homem é flagrado dando pinga a menores
Polícia
Assaltante é preso após ser rendido por atendente de hotel

Mais Lidas

Geral
Bolsonaro afirma incluir policiais condenados em indulto natalino
Polícia
Homem foge após tenta matar ex-esposa e ex-cunhada
Esportes
Al Hilal vence e encara Flamengo nas semifinais
Cidade
Prefeitura entregou cartões com crédito imobiliário e CRFs neste sábado