Menu
Busca segunda, 17 de junho de 2019
(67) 99647-9098
Agronegócio

Vacinação contra aftosa em MS já atingiu 99% do rebanho

No Pantanal, o prazo é diferenciado e termina no domingo (30)

28 dezembro 2018 - 09h54Da Redação com Assessoria

Considerando as peculiaridades do Estado, que conta com regiões como a do Pantanal, que enfrenta grandes cheias ao longo do ano, dificultando o acesso até às propriedades e impossibilitando o manejo adequado do rebanho, em Mato Grosso do Sul a campanha de vacinação contra a febre aftosa em bovinos e bubalinos acontece em duas etapas, nos meses de maio e novembro.

Nesta segunda etapa, que foi encerrada no dia 15 de dezembro nas regiões do Planalto e Zona de Fronteira, as parciais divulgadas pela Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) trazem números que confirmam a excelência do trabalho realizado no Estado pelos pecuaristas em parceria com a Iagro. No Pantanal, o prazo diferenciado termina no domingo, dia 30 de dezembro.

Faltando três dias para o encerramento da campanha de novembro, o Governo do Estado, por meio da Iagro, divulga números que apontam proximidade com o resultado obtido na campanha realizada em maio, quando a cobertura chegou aos 99%.

Conforme o relatório, na região do Planalto 99,11% dos animais da região tiveram declaração de vacinação registrada no sistema da Agência, 98,13% dos animais da Zona de Fronteira também foram declarados vacinados e da região do Pantanal os números já chegam a 93,20%.

Segundo o titular da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, os números da região do Pantanal ainda podem ter alguma mudança. “Nesses três últimos dias até o fechamento, seguramente teremos registros que elevarão os números e os aproximarão dos obtidos na última campanha”, afirma.

O diretor-executivo da Iagro, Roberto Bueno, que já esteve em várias partes do País levando a experiência de Mato Grosso do Sul no combate da doença, explica que a parceria da Iagro com os pecuaristas e sua conscientização quanto à importância da imunização levaram o Estado a figurar entre os três melhores resultados do Brasil nos últimos cinco anos e, consequentemente, abriu as portas para mercados que se fecharam quando da ocorrência de casos da doença em 2006.

Para Bueno, esse trabalho foi fundamental para que o Governo Federal pudesse colocar em prática o Plano Estratégico de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa) em 2017, que prevê a retirada da vacinação até 2023, tendo como diretrizes básicas deste trabalho a gestão compartilhada entre governos e iniciativa privada, o aperfeiçoamento das capacidades do Serviço Veterinário Oficial (SVO), a regionalização das ações, fortalecimento do sistema de vigilância, cooperação internacional e educação em saúde animal, conforme destaca: “Vimos seguindo à risca o cronograma previsto para o bloco do qual fazemos parte”.

Mato Grosso do Sul faz parte do Bloco V, que reúne ainda Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. “A evolução das ações tem feito alguns estados, inclusive, aventarem a possibilidade de pedir a retirada da obrigatoriedade da vacinação antes do prazo previsto no Plano. Contudo, em Mato Grosso do Sul devemos manter as ações dentro do que foi estabelecido, já que nossa realidade é bastante diferente dos demais estados que compõe conosco o Bloco V”, afirma o diretor-executivo, referindo-se à extensa área de fronteira com a Bolívia e o Paraguai.

 

Prefeitura prestação de contas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agronegócio
Conab já projeta que MS deve ter maior safrinha de milho da história
Agronegócio
Longen parabeniza Tereza Cristina após China retomar importação da carne
Agronegócio
Agro MS: 38% das contratações são de pessoas com menos de 30 anos
Agronegócio
Reinaldo visa potencializar o escoamento da safra do MS
Agronegócio
Com queda da produção do leite em MS, evento discute recuperação
Agronegócio
Aprosoja/MS atualiza dados do milho safrinha na quinta-feira
Agronegócio
Tereza quer política agrícola definida, no Brasil
Agronegócio
Em agosto, o Megaleilão Nelore CFM venderá 1.000 touros Nelore CEIP
Agronegócio
Em Ponta Porã, Tereza Cristina destaca o agro nacional e estadual
Agronegócio
Peste suína na China pode abrir mercado para MS

Mais Lidas

Opinião
De dois erros não se faz um acerto
Polícia
Jovem é morta a tiros em Ponta Porã e corpo é encontrado em estrada
Geral
Após bater em rotatória, universitário capota veículo em Ponta Porã
Economia
Após Bolsonaro falar em demissão do presidente do BNDES, diretor renuncia