Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Cidade

Presídio da capital tem palestra sobre consumo responsável

A ação ajuda internas na ressocialização, já que o endividamento pode ser uma das causas para o aumento da criminalidade

15 março 2019 - 13h15Da redação com assessoria

Orientações  sobre economia familiar e consumo consciente também são necessários no processo de ressocialização, tendo em vista, que, muitas vezes, o endividamento acaba sendo uma das causas da criminalidade.

Anualmente, 15 de março é celebrado o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, conforme instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), e detentas que cumprem pena no Estabelecimento Penal Feminino de Regime Semiaberto de Campo Grande (EPFRSAAA-CG) tem um motivo a mais para a comemorar a data, que marca a necessidade não só de compreender e buscar direitos enquanto consumidor, mas também do consumo consciente, sem exageros ou desperdícios.

As reeducandas foram capacitadas pelo Projeto Ecco – Educação para o Consumo Consciente, idealizado pela advogada Carolina Bitante, que visa educar os cidadãos para o consumo econômico e ecologicamente sustentável, buscando evitar e até mesmo tratar o problema do superendividamento.

Segundo Carolina, a ideia surgiu no período em que atuou na Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e pôde ter mais contato com este público. “Ajudar a desenvolver senso de responsabilidade, independência e autoestima é a missão desse projeto”, comenta a voluntária.

Durante a capacitação, as detentas receberam noções básicas de direito do consumidor, ecologia e de organização financeira, além de serem incentivadas a refletirem sobre a forma como lidam com sua renda, e aprenderam estratégias para não se endividar, ou mesmo para conseguir quitar dívidas fora de controle.  “Demonstrei a elas que as ofertas nem sempre são o que aparentam, e que consumir não pode ter o papel de compensação emocional”, ressalta a advogada. “E como o próprio nome sugere, que cada uma delas possa fazer esse aprendizado ecoar para fora dos muros”, complementa.

A capacitação foi realizada no segundo semestre do ano passado, mas até hoje reflete na qualidade de vida das internas. É o que garante a reeducanda Sônia Laurentino, uma das participantes.

“Aprendemos a fazer planilhas para controlar os gastos, cortar o que não era importante e gastar somente o necessário”, comenta a interna. “A gente aprendeu a prestar mais atenção no que está comprando”, completa.

De acordo coma idealizadora do Projeto Ecco, a intenção é que a iniciativa seja retomada este ano com novas parcerias.

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cidade
Reinaldo e Marquinhos anunciam “solução definitiva” para Parque das Nações
Cidade
Bombeiros resgatam cavalo que caiu em fossa
Cidade
Bazar em prol de animais resgatados será realizado em Campo Grande
Cidade
Cinco mil indenizações DPVAT foram pagas por invalidez permanente em MS
Cidade
Radares: cinco multam e quatro operam em caráter educativo
Cidade
Cruzamento da 14 de Julho com Mato Grosso será interditado nesta quinta
Cidade
Em Brasília, Marquinhos tenta quebrar lentidão de convênios
Cidade
Com investimento de R$ 1,9 mi, prefeitura retoma obra parada há cinco anos
Cidade
Bairro Santa Fé e região amanhecem sem energia
Cidade
Parques e praças da capital terão parquinhos de pneus

Mais Lidas

Polícia
Homem bêbado pede para descansar e morre no sofá do vizinho
Geral
Ciclista tem a cabeça esmagada por carreta em acidente
Cidade
Reinaldo e Marquinhos anunciam “solução definitiva” para Parque das Nações
Cidade
Radares: cinco multam e quatro operam em caráter educativo