Menu
Busca domingo, 23 de fevereiro de 2020
(67) 99647-9098
tj ms topo
Cultura

Livro sobre heroína indígena criada na capital é uma boa opção para leitura

“A Guerreira Potira” é baseado em lenda nacional e utiliza elementos regionais para contar história de aventura voltada ao público infanto-juvenil

19 abril 2019 - 12h50Rayani Santa Cruz, com informações da assessoria

Dia 19 de abril é comemorado o Dia do Índio. O Brasil abriga a maior biodiversidade do mundo, e segundo o censo do IBGE, possui mais de 300 etnias indígenas. Apesar da riqueza biológica e cultural, a população ainda desconhece parte desta diversidade.

Com o objetivo de preencher esta lacuna e oferecer uma história de aventura genuína ambientada no país, a trilogia “A Guerreira Potira” foi produzida  na capital pela escritora Bianca Resende e pela ilustradora Marina Torrecilha.

O livro tem como foco o público infanto-juvenil e conta a história da índia Potira, a partir de uma lenda do folclore nacional. Na tradição oral, a personagem passou a chorar diamantes após perder o amado em uma batalha. Porém, na trilogia produzida na capital, a índia ganha novos contornos e uma aventura só para ela. 

Em "A Guerreira Potira", a personagem se depara com a derrubada de castanheiras e embarca em uma saga dentro da mata brasileira para impedir o desmatamento. Ela é acompanhada por seres mágicos, todos catalogados no livro “Compêndio Seres da Mata - um olhar informal sobre o folclore brasileiro”, do escritor Hélio Guedes. 

As autoras buscam produzir um conteúdo inteligente para as crianças, abordando a defesa do meio-ambiente e com referências positivas sobre os povos indígenas.  Para tanto, elas se debruçaram em pesquisas sobre a descrição da fauna e flora, além de referências culturais, folclóricas e antropológicas. “É importante passar que a floresta é brasileira, queremos fomentar o debate sobre a preservação ambiental de forma lúdica”, diz a ilustradora Marina Torrecilha.

Para a escritora Bianca Resende, a descrição regional ajuda a criar uma sensibilidade maior. “Se fala muito sobre conscientizar sobre desmatamento, mas a criança não sabe o real impacto disso, é preciso direcionar para gerar uma sensibilização maior... Como mãe, acho importante que meus filhos e que essas novas crianças que estão chegando tenham contato com essa realidade, elas são a nossa chance de criarmos conteúdo novo”.

Além de fortalecer a identidade cultural por meio de elementos regionais, a história busca trazer a força feminina por meio de uma heroína indígena. “Antes, tinha imaginado uma personagem que iria ter a amiga indígena, colocando o indígena como o outro; quando a gente coloca a Potira como a protagonista, começa essa questão do respeito e de não a ver como coadjuvante”, finaliza Bianca.

A primeira parte da trilogia deve ser lançada no segundo semestre de 2019, com cerca de 40 páginas – entre texto e ilustrações originais. Os interessados podem acompanhar a construção da personagem pela rede social instagram, pelo perfil @aguerreirapotira.

Sobre as autoras:

Bianca Resende – É acadêmica de Letras na UCDB, mãe, poetisa e professora. Além do trabalho como escritora no livro A Guerreira Potira, escreve o roteiro para Solo Jacira, retratando pequenos fragmentos do cotidiano de uma mãe solo.

Marina Torrecilha – É formada em Artes Visuais pela UFMS, tem experiência em modelagem e em construção de personagens de Stop Motion com espuma de látex. Cursou Animação 3D no ArtAcademia em São Paulo. Já trabalhou com a criação de jogos e animações para EAD. É Ilustradora digital, concept artist e já criou vários jogos para celular, dentre eles Ponami, uma personagem Inca com elementos Hindus.

Jacarezão

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cultura
MIS exibe filme sobre identidade de gênero nesta quinta-feira
Cultura
MIS inicia o Ciclo de Cinema Brasileiro Contemporâneo nesta semana
Cultura
Grito de Carnaval será daqui a pouco na Praça dos Imigrantes
Cultura
'Reviva Cultura' terá pagode e MPB neste domingo
Cultura
'Reviva Cultura' contará com show de Chicão Castro na 14 de Julho
Cultura
'Bassetto Ballet' abre 110 novas vagas para balé classico
Cultura
Autoridades abominam "declarações nazistas" de secretário de Cultura
Cultura
Secretário de Cultura parafraseia nazista e gera polêmica nas redes sociais
Economia
Mega-Sena acumula e próximo sorteio pode pagar R$ 14 milhões
Cultura
Morre aos 92 anos o artista plástico Francisco Brennand

Mais Lidas

Geral
Rio Taquari atinge nível de emergência e alerta em Coxim
Polícia
Blitz de Lei seca apreende motorista com CHN falsa
Polícia
Vídeo - No primeiro dia de folia, Choque precisa dispersar foliões
Economia
Mega-Sena acumula e próximo sorteio é de R$ 200 mi