Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Justiça

Jallad é excluído das testemunhas de defesa de Jamil Name

Defesa sustenta que foi um “equívoco” colocá-lo no rol

27 novembro 2019 - 08h41Da redação

A defesa do empresário Jamil Name solicitou a exclusão do desembargador aposentado, Abdalla Jallad, do rol de testemunhas, na ação penal que corre contra o chefe da milícia por crimes do sistema nacional de armas.

No documento encaminhado à 1ª  Vara Criminal Residual da Comarca de Campo Grande, a defesa sustenta que o ex-magistrado foi incluído como testemunha “equivocadamente”.

Além de Jallad, os advogados de Jamil solicitaram oitivas com mais dois magistrados aposentados, Carlos Stephanini e Joenildo de Souza Chaves, que já presidiu o TJ,  o médico Luis Antônio Simões, o empresário José Alberto Franco da Silva, os comerciantes Antônio Carlos de Alcântara e Márcio dos Santos Kutenberg, além do pecuarista Marcos Marcelo dos Anjos Martins, todos residentes de Campo Grande.

Os demais citados permanecem no rol de testemunhas.

Terra Benta

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Acusado de matar a tia com 24 facadas é condenado a 8 anos de prisão
Justiça
Bolsonaro sanciona lei sobre maus-tratos a animais acompanhado do pitbull Sansão em Brasília
Justiça
Nova diretoria da Aprems tomou posse nesta sexta-feira
Justiça
McDonalds indeniza cliente em R$ 10 mil por produto vencido
Justiça
"Houve uma conspiração", alega advogado de Flordelis
Justiça
Candidatos à eleição podem tirar certidões on-line pelo TJMS
Justiça
Espaço de eventos indenizará em R$ 20 mil casal por falta de água durante casamento
Justiça
Anhanguera deverá indenizar ex-aluna por cobrança indevida
Justiça
Ministério Público move ação contra contrato do Consórcio Guaicurus
Justiça
Mutirão DPVAT: 1.787 processos podem ser finalizados em 2020

Mais Lidas

Cidade
Vídeo - Famílias perdem tudo em incêndio Noroeste; saiba como ajudar
Cidade
Ação une irmãs do MT e MS em prol de animais do Pantanal
Justiça
Acusado de matar a tia com 24 facadas é condenado a 8 anos de prisão
Polícia
PMA autua pecuarista em R$ 10 mil por animais silvestres em cativeiro