Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Aguas - super banner
Cultura

Cinema d(e) Horror exibe o filme espanhol 'Volver' nesta quarta-feira

09 maio 2012 - 10h11Divulgação

O projeto Cinema (d)e Horror exibe hoje (9), o filme espanhol “Volver”, às 18h30, na sala Rubens Corrêa do Centro Cultural José Octávio Guizzo. A entrada tem o valor simbólico de R$ 1,00.

O filme
“Volver” (Espanha/2005/121min/14anos) - dirigido por Pedro Almodóvar, se passa em Madri, onde Raimunda é uma jovem mãe, bastante trabalhadora e atraente, mas também frágil emocionalmente, pois guarda um segredo terrível desde sua infância. Vive com um marido desempregado e uma filha em plena adolescência.

As finanças familiares não vão muito bem, e assim Raimunda tem diversos empregos. Sua irmã Sole é um pouco mais velha. Tímida e receosa, ela ganha vida com um salão de beleza ilegal. Seu marido a abandonou e fugiu com uma cliente e desde então ela vive sozinha.

Paula é tia delas e mora em uma aldeia em La Mancha, onde toda a família nasceu. Uma aldeia castigada pelos ventos leste, a causa direta do alto índice de insanidade registrado lá e responsável pelos diversos incêndios que devastam a área em todos os verões. As duas irmãs vivem situações inesperadas, intensas, melodramáticas, cômicas e emocionantes.

“A morte, o óbito, o falecimento ou passamento, ou ainda desencarne são termos que se podem referir quando tratamos do cessamento das atividades biológicas imperativas à conservação da vida de um organismo. As alegorias comuns da morte são o Anjo da Morte e a cor negra. No entanto o cineasta espanhol Pedro Almodóvar nos expõe outra forma de visão em relação à morte”, explica o mediador do debate, André Rezende Benatti, mestrando em Letras: Estudos Literários da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) do campus de Três Lagoas.

“Em Volver a morte é o tema principal, e esta é tratada não por valia de ambientações escuras e alusões ao noturno e ao obscuro, Almodóvar nos coloca diante de uma explosão de cores. A película perpassa por pontos de uma dialética entre o conhecimento e o desconhecimento, a percepção e a cegueira, o passado e o presente, o erotismo e a violência, a vida e a morte. Portanto propomos uma leitura fílmica na qual o horror ao desconhecido assim como ao passado, que foi esquecido, confluam em relação à morte”, finaliza o mediador.

Cinema d(e) Horror
O Cinema d(e) Horror está em seu 5º ano, sendo coordenado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propp) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, através da professora doutora Rosana Cristina Zanelatto Santos e Rodrigo Kruppa, acadêmico do curso de Letras da UFMS e vice-coordenador do projeto.

Geralmente tem duas exibições mensais e conta com a participação de graduandos e mestrandos da área de Letras da UFMS ou convidados especiais para as exibições e debates de filmes que tratam da categoria "Horror" no plano das artes, contando também com a participação da sociedade campo-grandense.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3317-1795 ou no Centro Cultural José Octávio Guizzo, que fica localizado na rua 26 de Agosto, 453, entre as ruas Calógeras e a 14 de Julho.

Via Notícias MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cultura
Acontece hoje a 1ª Parada online da Cidadania e do Orgulho LGBTQIA+/MS
Cultura
Feira Central “ressuscita” apresentações musicais nesta quinta
Cultura
Júlio Cocielo se tornou réu na Justiça de São Paulo sob acusação de racismo
Cultura
"Posso ver meus filhos novamente" diz Wesley Safadão após resultado negativo do exame da covid-19
Cultura
Toots Hibbert, a lenda do reggae, morre aos 77 anos na Jamaica
Cultura
Lives: Maiara e Maraísa e Marcos e Belutti agitam esta sexta
Cultura
DJ Danilo Bachega comemora 25 anos de carreira com remix de Lulu Santos
Cultura
Jads e Jadson fazem live hoje
Cultura
Autocine deste domingo tem atração para criançada e com “A raposa má”
Cultura
Carnaval de Corumbá entra para o calendário oficial de MS

Mais Lidas

Geral
"O corpo é o de menos”, diz jovem no Dia Nacional da Luta PCD
Geral
“Só sintomas leves”, diz Reinaldo ao JD1
Internacional
Vídeo: Mulher dança reggaeton sobre caixão do namorado
Vídeos
Vídeo: Pedagoga leva soco durante abordagem policial racista