Menu
Busca segunda, 25 de maio de 2020
(67) 99647-9098
TJ MS maio20
Polícia

Policial Militar mata esposa e suposto amante a tiros

Informações preliminares são de que ele teria recebido prints de mensagens trocadas

06 outubro 2019 - 14h40Vitória Ribeiro

Foi identificado como Lúcio Roberto Cabral, o Policial Militar Ambiental que matou a esposa e suposto amante a tiros na noite de sábado (05) em Paranaíba - distante cerca de 407 km de Campo Grande. As vítimas são Regienni Araújo, 32 e o suposto amante, Fernando Henrique Freitas.

Conforme informações preliminares, Lúcio recebeu prints de mensagens trocadas entre os dois que comprovariam a traição. Ele mexeu no celular da esposa mas não encontrou nada no aparelho, então foi até a casa de um familiar de Fernando, que também era casado. 

Fernando foi atingido no peito e ao tentar fugir, foi novamente acertado nas costas. Lúcio foi até a casa de seus pais e matou a esposa, que estava sentada no sofá. A mulher foi morta na frente do filho. Uma equipe da Polícia Militar de Paranaíba confirmou as mortes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Tenente-coronel Wagner Ferreira assume comando do DOF
Polícia
Perseguição e tiros na Gury Marques terminam com mulher na delegacia
Polícia
Jovem é morto pelo companheiro por ciúmes
Polícia
Para salvar a mãe de agressão, filho desfere golpes de foice no pai
Polícia
Quase R$ 2 milhões: homem é preso com celulares sem nota fiscal
Polícia
Homem é encontrado morto e pode ter sofrido hipotermia
Polícia
Vídeo - Homem leva tiro no peito em plena luz do dia
Polícia
Passageira trans diz ter sido puxada pelos cabelos e chama motorista de covarde
Polícia
Homem é preso com quase 400 kg de maconha que iriam para São Paulo
Polícia
Assessor de Trump diz que EUA devem barrar voos do Brasil

Mais Lidas

Polícia
Tenente-coronel Wagner Ferreira assume comando do DOF
Polícia
Perseguição e tiros na Gury Marques terminam com mulher na delegacia
Polícia
Jovem é morto pelo companheiro por ciúmes
Cidade
"Não vamos pagar a folha de julho", diz Pedrossian se ajuda federal demorar