Menu
Busca domingo, 29 de março de 2020
(67) 99647-9098
TJMS topo
Política

Audiências de custódia no Estado contaram com atendimento médico e exames

Representantes do Poder Judiciário fecharam parcerias com o Hospital Universitário e a Faculdade Insted

07 fevereiro 2020 - 14h34Jônathas Padilha, com informações da assessoria

Os representantes do Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, Hospital Universitário, Faculdade Insted e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) participaram de um projeto-piloto para realizar atendimento médico aos custodiados do início ao fim dos processos.

O projeto tem como intuito estabelecer parcerias para atender demandas de saúde nas audiências de custódia, na execução penal e atendimento à mulher vítima de violência, na 3ª Vara na Casa da Mulher Brasileira.

O desembargador Luiz Gonzaga Mendes Maques, supervisor da Coordenadoria das Varas de Execução Penal (COVEP) de Mato Grosso do Sul, afirmou que o judiciário busca meios de obter soluções a problemas que podem ser úteis na adoção de medidas cautelares, oferecendo subsídios para auxiliar na decisão do juiz.

Ainda de acordo com o desembargador, a iniciativa partiu da juíza Denize de Barros Dodero, da 18ª Vara Cível da Capital, designada para as audiências de custódia e percebeu que, com parcerias, seria possível fazer mais pelos custodiados.

As audiências de custódia têm o objetivo de proceder a oitiva do preso em flagrante delito, ao exame da legalidade da prisão e sua manutenção ou não, cabendo ao juiz a verificação da ocorrência de indícios de abuso físico e/ou psicológico ao preso.

Além da necessidade de conferir se existe a necessidade de uma conversão da prisão em flagrante em preventiva ou da aplicação de outras medidas cautelares diversas da prisão.

A juíza disse que medida é importante para melhorar a sociedade. “No Brasil hoje, toda pessoa privada de liberdade necessariamente deve ser apresentada a uma autoridade judicial e percebemos que é possível melhorar com o uso do aparelhamento para as audiências de custódia como instrumento de pacificação social. Todos temos o desejo de fazer o melhor pela sociedade. MS realizou a primeira audiência de custódia do país, em outubro de 2015, e pode fazer melhor sim”, disse ela.

Os participantes da reunião se dispuseram a contribuir para que a proposta seja expandida para as comarcas do interior e sem qualquer custo para o Poder Judiciário.

Também foi abordada uma discussão sobre a possibilidade de realização de exame de corpo de delito por médico no Fórum, antes da audiência de custódia.

Ao final foi acordada uma nova reunião na próxima segunda-feira (10), com a presença de representantes do Município e do Executivo estadual para realizar os acertos finais das parcerias, com redação da minuta do Termo de Cooperação.

Assembleia - Mais ALEMS

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Deputado Barbosinha pede suspensão de cobrança no pedágio da BR-163
Política
Marquinhos decreta barreira sanitária no aeroporto da capital
Polícia
Gerente de motel é preso por filmar clientes durante intimidades
Política
David defende que "o Estado não pode parar", em ações contra o coronavírus
Política
MP de combate ao coronavírus poderá ter R$ 2 bi do fundo eleitoral
Política
Empresários realizarão carreata pelo reabrir do comércio na capital
Política
Maia defende ajuda de custo de R$ 500 à autônomos e desempregados
Política
Câmara aprova plano de carreira aos profissionais da Saúde
Política
Coronavírus - Câmara retira mesas e cadeiras são distanciadas entre vereadores
Política
Senado aprova PL sobre exportação de produtos de combate ao Covid-19

Mais Lidas

Saúde
Receitas de medicamentos da Casa de Saúde são prorrogados por mais 3 meses
Agronegócio
Calendário de vacinação e plano de ação contra aftosa serão mantidos em MS
Polícia
Adolescente se irrita e esfaqueia o tio após buzinada no portão
Geral
Confira a lista de ganhadores do Nota MS Premiada